A espera para realizar a travessia de balsa, entre Santa Tereza e São Valentim do Sul, atingiu um pico de cerca de quatro horas neste último domingo (18), resultando em longas filas de veículos.

O equipamento foi instalada como uma medida temporária após a queda da ponte sobre o Rio Taquari, na ERS-431, que ocorreu durante a enchente de setembro de 2023. No entanto, sua operação tem gerado frustração entre os usuários, especialmente nos finais de semana, quando o volume de tráfego aumenta consideravelmente.

Embora a travessia em si leve menos de cinco minutos, o processo de espera é significativamente demorado devido à capacidade limitada da balsa e à alta demanda na área. No domingo, mais de 1,5 mil veículos precisaram utilizar o serviço.

Inicialmente prometida para operar 24 horas por dia, a balsa atualmente funciona das 6h às 20h, sendo estendida durante a noite para acomodar todos os veículos que aguardam para atravessar.

Embora um segundo rebocador tenha chegado à área na semana passada, sua implementação ainda não foi realizada, permanecendo próximo aos destroços da antiga ponte. Detalhes sobre sua entrada em operação ainda não foram divulgados.

Para discutir o progresso do projeto de construção de uma nova ponte, prefeitos e líderes regionais se reunirão com o governador Eduardo Leite em Porto Alegre em 22 de fevereiro. Devido à falta de confiança em uma solução imediata, algumas lideranças consideram buscar financiamento privado, seguindo o exemplo de Nova Roma do Sul, e também planejam uma manifestação pacífica caso não haja uma resolução satisfatória.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Whats da Rádio Ole
Enviar mensagem