Daniela Borges Pereira, 20 anos, está desaparecida desde a quarta-feira da semana passada (28), em Caxias do Sul. A mãe da jovem, Ana Claúdia Borges, moradora do bairro Montes Claros, diz que a filha nunca havia desaparecido dessa forma, e que não tinha problemas com álcool, entorpecentes ou depressão.

Conforme Boletim de Ocorrência, Daniela estava morando na casa de um amigo em Galópolis, interior da cidade. Na última quarta-feira (29), ela saiu da casa e desde então não foi mais vista. Na terça-feira (28), a jovem informou que estava brigando diariamente com o dono da casa e que não suportava mais a situação. Ela mencionou que sairia de casa e iria até a residência da mãe na região do esplanada no dia seguinte para conversarem, mas não apareceu.

Ana Claúdia, também relatou que a filha trabalhava em uma sorveteria mas margens da BR-116, no bairro de Lourdes, mas foi informada pelos funcionários que ela não comparecia ao trabalho há mais de três semanas. O telefone está ligado, mas ela não atende as ligações, levantando dúvidas sobre se o aparelho ainda está com ela.

A mãe da jovem, relata que não sabe mais o que fazer para conseguir informações sobre a filha:

“É muito angustiante. Não consigo dormir, não consigo comer, apenas esperando mensagens, notícias dela. Está muito difícil, sem notícias, sem saber onde ela está. Me sinto de mãos atadas, sem saber o que fazer. Fui fazer o boletim de ocorrência na Polícia Civil e nem isso queriam registrar. Perguntei o que seria feito depois e disseram que era só esperar ela aparecer e vir tirar a queixa. Me sinto impotente, corro para um lado, corro para outro, peço ajuda a todos.

Ninguém sabe de nada. Alguns dizem que ela foi para Mato Grosso, outros que saiu com amigos. Ontem, uma amiga disse que a viram em Farroupilha e que verificariam câmeras de segurança para confirmar. Não sei mais em quem acreditar, onde procurar, o que fazer. Não tenho mais forças para nada enquanto não a encontrar. Sinto que ela está bem, mas o desespero é enorme. Só quem é mãe entende o que estou passando.

Os irmãos dela também estão sofrendo. Um deles, muito apegado a ela, chora, pergunta por ela, pergunta aos amigos se a viram. É muito triste. Tento me fazer de forte perto deles, mas não está sendo fácil. É muito desespero, muita tristeza. Deixei meu trabalho de lado para ficar em casa, esperando notícias, mas está muito difícil.”

Qualquer informação pode ser repassada à Brigada Militar pelo telefone 190 ou diretamente a mãe de Daniela, pelo número (54) 99985.0142

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Whats da Rádio Ole
Enviar mensagem