A Polícia Federal (PF) cumpriu, na manhã desta quarta-feira (12), um total de 45 mandados de busca e apreensão e sete de prisão preventiva por desvios de dinheiro do fundo eleitoral (Fundão), nas eleições de 2022.

Entre os investigados está o presidente nacional do Solidariedade, Eurípedes Júnior. Ele também foi dirigente do PROS – sigla que se fundiu ao Solidariedade em 2023. Ele é alvo de mandado de prisão preventiva, na Operação Fundo do Poço. A corporação faz buscas para localizar o político.

As investigações tiveram início a partir de denúncia do então presidente do partido, contra um ex-dirigente da sigla. Ele é suspeito de desviar aproximadamente R$ 36 milhões.

Estão sendo cumpridos sete mandados de prisão preventiva, 45 mandados de busca e apreensão em dois estados (GO e SP) e no DF, bloqueio e indisponibilidade de R$ 36 milhões e o sequestro judicial de 33 imóveis, deferidos pela Justiça Eleitoral do DF.

Por meio de Relatórios de Inteligência Financeira e da análise de prestações de contas de supostos candidatos, foram localizados indícios que apontam para existência de uma organização criminosa estruturalmente ordenada com o objetivo de desviar e se apropriar de recursos do Fundo Partidário e Eleitoral, utilizando-se de candidaturas laranjas ao redor do país, de superfaturamento de serviços de consultoria jurídica e desvio de recursos partidários destinados à Fundação de Ordem Social (FOS) – fundação do partido.

Os atos de lavagem foram identificados por meio da constituição de empresas de fachada, aquisição de imóveis por meio de interpostas pessoas, superfaturamento de serviços prestados aos candidatos laranjas e ao partido.

Os envolvidos estão sendo investigados pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, furto qualificado, apropriação indébita, falsidade ideológica eleitoral e apropriação de recursos destinados ao financiamento eleitoral.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Whats da Rádio Ole
Enviar mensagem